Harry Potter

1560667_1506450106256427_189739131662389450_n

Uma das sagas de maior sucesso do mundo do cinema. Criou toda uma legião de fãs que ainda hoje relembram e revêm os filmes com carinho (e até mesmo com algum fervor). Sete livros adaptados em oito filmes num intervalo de dez anos, e milhões de dólares de bilheteira. Todo um conjunto de factores tornaram os filmes no sucesso que foram, e que vão continuar a ser (novas adaptações do mesmo mundo vêm aí a caminho).

Durante as próximas oito semanas vou dissecar cada um dos oito filmes, fazendo uma crítica, analisar o impacto de cada filme no público em geral, críticos e até mesmo noutros filmes. Que os fãs de Harry Potter (e mesmo quem não seja) se juntem e deem também as suas opiniões, recordando assim dos filmes e da sua magia, como eu o vou fazer. Espero-vos na próxima semana.

*Harry Potter*

Dwayne Johnson’s no The Tonight Show de Jimmy Fallon

Dwayne Johnson’s esteve no The Tonight Show Starring Jimmy Fallon para promover o seu mais recente filme Hércules.

Como sempre o Fallon decidiu fazer uma paródia com o ator convidado e que resultou neste momento super divertido.

Vejam.

https://www.youtube.com/watch?v=1rVNzu7smmw (1ª parte)
https://www.youtube.com/watch?v=y0d24yxQRvM (2ªparte)

[Oskar Schindler]

CINEMAÇÃO – Hayao Miyazaki


Para falar dos estúdios Ghibli e dos seus filmes, temos de falar obrigatoriamente de Hayao Miyazaki.

Hayao Miyazaki é um dos maiores realizadores de animação do Japão. Os enredos cativantes, as personagens convincentes e a animação de tirar o fôlego nos seus filmes renderam-lhe a fama internacional dos críticos bem como o reconhecimento do público.

Miyazaki já realizou e escreveu muitos filme sobre a alçada dos estúdios Ghibli e foi responsável pelos seus grandes sucessos.
Mas nenhum teve o sucesso que teve a “A Princesa Mononoke” (1997) que recebeu o equivalente japonês do Óscar de Melhor Filme e teve o melhor resultado de bilheteira de um filme nacional na história do Japão na época de seu lançamento.

The Wind Rises (2013) parece ter sido o seu último filme, já que veio a público anunciar que se ia reformar. Eles já antes havia anunciado que o ia fazer e acabou sempre por voltar atrás, mas desta vez parece definitivo.

Em nome de todos os fãs espalhados pelo mundo, posso dizer que era bom que Miyazaki voltasse a ser puxado para a paixão da animação e que não lhe conseguisse dizer que não, mais uma vez.

[Princesa Mononoke]
Fonte: tofugu.com

“Alguma vez fui louca? Talvez ou talvez a vida seja” (Girl, Interrupted – 1999)


Transtorno de personalidade boderline, conhecem? Muito resumidamente: uma tendência bastante acentuada de agir impulsivamente e sem pensar nas consequências, juntamente com uma grande instabilidade afectiva. É este o diagnóstico que Susanna conhece, após dar entrada na psiquiatria, após uma tentativa de suicído nos anos 60. O filme é baseado no livro e história da escritora Susanna kaysen durante a sua estadia na ala psiquiátrica, as pessoas que conheceu, as amizades que fez e a sua batalha com a doença.

Summer

Christopher Nolan e Matthew McConaughey promovem “Interstellar” na Comic Con

Christopher Nolan e Matthew McConaughey estiveram na Comic-Con para promover o filme ‘Interstellar’, uma boa surpresa para os fãs do realizador. 

Apesar de Nolan contar com 3 filmes do Batman no seu currículo, nunca antes tinha estado presente no evento. “Porquê agora?”, questionaram alguns. “Queria perceber a razão para tanto alarido!”, foi a resposta do realizador.

Apesar de realizador e protagonista não terem revelado muito sobre o filme, Nolan explicou que ele cresceu numa época em que ser astronauta era a maior ambição que se podia ter. “A ideia de se explorar o espaço, indo cada vez mais além, parecia inevitável. Eu senti que (esta ideia) tem perdido impacto no decorrer das últimas duas décadas.”

McConaughey descreveu o seu personagem como um piloto que anseia por uma chance de voltar a pilotar e a quem é dada a oportunidade de participar na mais importante missão que a Humanidade jamais contemplou. O actor elogiou grandemente Nolan, a sua ambição e a sua capacidade de ir sempre mais além. Segundo McConaughey, “este é de longe o filme mais ambicioso que Nolan alguma vez realizou”.

Nolan apontou “2001: A Space Odyssey”, do realizador Stanley Kubrick, como a sua maior inspiração para “Interstellar”.

Marla Singer 

“MISE-EN-SCÉNE”

10375131_1505376759697095_3816373220092767393_n

Continuamos a viagem pelo cinema francês dos anos 20, que apesar dos nomes sonantes abordados nas semanas anteriores, de homens que muito contribuíram para o desenvolvimento da arte do cinema e para o fomento do cinema francês, este não teve vida fácil nestes anos.

Para além da dificuldade de afirmar o cinema francês, neste período, havia a questão da guerra que dificultava o acesso a materiais e condicionava também os meios humanos, até porque como vimos muitos dos nomes sonantes da realização dos anos 20 tiveram períodos em que se viram forçados a interromper as carreiras por força do serviço militar.

O pós-guerra não se apresentou mais risonho e os jovens do meio cinematográfico, os que não tinham passado directamente pela hecatombe da guerra, estavam contestatários e enveredavam por temáticas pesadas.

As influências vinham sobretudo da literatura e da pintura e as correntes vanguardistas do dadaísmo e do surrealismo eram uma constante. Havia um cinema, essencialmente, de “gags” e “private jokes”, um cinema essencialmente de intelectuais para intelectuais, o que não facilitava a sua difusão. Contudo, não se deve menosprezar a importância destas obras e da experimentação que estas permitiram.

Mais tarde, com a abertura de fronteiras e a chegada do cinema alemão e soviético, a criação de películas que enraíze a cultura de massas e a realidade social volta. “Ao Largo” (1927), “Maldone” (1928) e “Os Faroleiros” (1929) são exemplos de alguns títulos que apesar de terem sido, na época, fracassos comerciais trouxeram de novo à tela cenas e histórias do quotidiano com as quais o povo se identificava, mas expressas em argumentos elaborados.

O documentário, também, volta a estar em voga, não só em França, mas por toda a Europa. São lançadas películas fantásticas e os cineastas da época cada vez “falavam” melhor através das imagens. A Era do Sonoro aproxima-se e com ela virá uma nova grande revolução…

[Amélie Poulain]